19/04/2015

Aneel vai reduzir burocracia para facilitar instalação de sistema solar em residência

  Voltar
Fato Online

Por exigência de autorização e vistoria prévias das concessionárias, ligação dos projetos à rede das distribuidoras demora meses e é uma das reclamações de quem trabalha com energia solarA Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) vai definir ainda no primeiro semestre uma proposta para acelerar o acesso dos mini e microgeradores de energia à rede das distribuidores de energia. Hoje, a demora da ligação dos projetos à rede das distribuidoras é uma das reclamações de quem trabalha com energia solar.

Segundo empresas que instalam esses sistemas solares, o prazo para conclusão numa residência, por exemplo, é de menos de uma semana, mas algumas vezes a parte burocrática, que envolve autorização e vistoria das distribuidoras, atrasa o processo em meses.
O sistema de mini e microgeração distribuída permite que qualquer pessoa gere energia para seu consumo. O que exceder pode ser jogado na rede da distribuidora que funciona nesse caso como uma bateria. A energia que entrar na rede da concessionária será descontada do consumo que for feito em momentos em que não é possível gerar energia, no caso da solar, durante a noite.

O diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, afirmou em entrevista recente ao Fato Online que o potencial de crescimento da microgeração distribuída é enorme e entre os grandes benefícios do sistema está a redução de perdas de energia na transmissão e redução da pressão sobre o sistema.

Segundo o diretor da empresa Neosolar, Raphael Pintao, o interesse do público pela geração solar tem aumentado e a expectativa é que aumente mais com a exposição do assunto e o interesse demonstrado pelo governo. “Quem mais tem instalado são residências. Por causa do perfil de consumo o sistema é mais vantajoso para residências que para empresas”, afirmou. A Neosolar foi a empresa responsável pela instalação do primeiro sistema de microgeração de São Paulo.

Como gerar energia solar?

Para quem se interessar em gerar a própria energia, Pintao afirmou que o primeiro passo é contatar uma empresa para fazer um estudo sobre a viabilidade do sistema. A eficiência dos painéis solares depende de fatores como a região onde será instalada e a posição do telhado. Esses fatores interferem no tempo que o consumidor vai levar para “recuperar” o investimento. 

Em geral o tempo médio é de 8 a 10 anos, mas em regiões com maior incidência de energia solar e onde o custo da energia é mais caro esse tempo cai para 5 ou 6 anos. “Mas o equipamento tem vida útil de 25 anos, ou seja, depois de 10 anos você ainda vai gerar mais 15 anos de energia com ele sem custo”, afirmou o diretor-executivo da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), Rodrigo Lopes Sauaia.

Para 2023 a EPE (Empresa de Pesquisa Energética) estima que o consumo atendido com a autoprodução e a fotovoltaica, representará cerca de 12% do consumo de eletricidade. “Dentre as tecnologias de geração distribuída de pequeno porte destaca-se a baseada no aproveitamento solar fotovoltaico; essa tecnologia se apresenta com maior potencial de penetração no horizonte decenal”, afirma o Plano Decenal de Expansão de Energia elaborado pela EPE. 

Aquecimento e geração

A micro e minigeração de energia solar é quando o consumidor gera energia através dos painéis fotovoltaicos, que captam a luz do sol. A tecnologia é diferente da usada no aquecimento solar, quando não há geração de energia elétrica. No caso do aquecimento solar, há apenas uma redução do consumo por causa do uso das placas.
  Voltar
X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok