20/03/2018

Espanhóis vão investir R$ 385 mi em energia solar em Minas

  Voltar
O Tempo 

A espanhola Gas Natural Fenosa está investindo 95 milhões (em torno de R$ 385 milhões) em dois projetos fotovoltaicos em Minas Gerais. Eles estão sendo vendidos pela Canadian Solar, que tem negócios em Pirapora, Norte do Estado, e Guimarânia, região do Alto Paranaíba. Os projetos comprados terão capacidade de geração anual de 165 gigawatts por hora (GWh) e as operações estão previstas para começar no quarto trimestre deste ano, informou a companhia espanhola. Segundo agências internacionais, a transação está relacionada a um acordo de compra de energia de 20 anos. A Fenosa Gas Natural do Brasil confirmou a operação, mas não deu mais informações. Já a Canadian Solar foi procurada, mas não comentou.

A transação está sujeita a aprovação de órgãos reguladores. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que ainda não foi notificada sobre o negócio, o que pode acontecer via Superintendência de Pesquisa e Desenvolvimento e Eficiência Energética (SPE).

Segundo o presidente executivo da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, Rodrigo Sauaia, o caso da empresa espanhola mostra que companhias mais tradicionais do setor de energia estão investindo no setor fotovoltaico. “Estamos em um segundo momento do mercado de energiasolar no Brasil. Primeiro, chegaram as empresas mais inovadoras e, agora, empresas tradicionais como a Fenosa Gas Natural investem, reforçando o papel da fonte fotovoltaica na economia do mundo e do Brasil”, afirma Sauaia. O dirigente lembra que a Fenosa é uma empresa ligada a combustíveis fósseis. “Essas empresas mais tradicionais estão migrando seus negócios para a energia renovável”, explica.

A empresa espanhola chegou a ter um empreendimento em Minas junto com a Petrobras até 2015, que viabilizaria um gasoduto ligando Queluzito, na região Central do Estado, a Uberaba, no Triângulo Mineiro, mas o projeto não saiu do papel, já que a fábrica de amônia da Petrobras, no Triângulo, não será construída.

Sauaia afirma ainda que os bons resultados dos leilões de energia solar realizados pela Aneel, em dezembro de 2017, e os novos leilões de 2018, um deles já marcado pela agência para abril deste ano, também ajudam a aquecer o mercado fotovoltaico no país.

Alcance

Aneel. No fim de 2017, o país alcançou a potência instalada de 1 gigawatts (GW) em energia solar, segundo a Aneel. Porém, essa geração representa só 0,59% do total do Sistema Integrado Nacional (SIN).

Europeus estão de olho no potencial de geração do Brasil

Empresas europeias como a espanhola Fenosa estão de olho de mercado de energia solar do Brasil desde 2012, na avaliação do presidente da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), Rodrigo Sauaia. “Empresas de países como Espanha e Alemanha têm demonstrado interesse no potencial solar do Brasil desde 2012. Mais recentemente foram as asiáticas, porque também começaram a investir em seus próprios países e, agora, temos as empresas da América do Norte e Central começando a mostrar interesse”, diz.

Minas Gerais. A economia do Norte de Minas será beneficiada com os investimentos que estão chegando para energia solar na avaliação de Sauaia. “O Norte de Minas tem potencial para se tornar um polo de desenvolvimento em função de seu potencial solar”, afirma.

Minas Gerais irá inaugurar nove usinas fotovoltaicas até o fim de 2018, segundo a Agência Nacional deEnergia Elétrica (Aneel). Com isso o Estado aumentará sua capacidade de geração de 231 MW, das oito usinas já estão em operação em Pirapora, no Norte do Estado, para 500 MW. No Brasil, 28 usinas solares devem entrar em funcionamento neste ano, somando 781 megawatts (MW) de geração. Outros oito empreendimentos, com viabilidade média, estão previstos para 2018, somando mais 231 MW, uma acréscimo de 1,12 GW de energia solar.

Ingresso em aliança global

O Congresso Nacional estuda a entrada do Brasil na Aliança Solar Internacional, que reúne 121 nações que já utilizam a energia solar. O pedido foi encaminhado pela Presidência da República em fevereiro deste ano.

Em 2018, o país aderiu à Agência Internacional de Energia Renovável (Irena), que conta com 154 países membros.

Em crescimento

Até 2021. Mais 31 usinas fotovoltaicas deverão iniciar suas operações comerciais, segundo o relatório de acompanhamento de obras da Aneel.

67 plantas. Será o total de usinas de energia solar resultado de leilões realizados em 2014 e 2015.

Ranking. Hoje o Brasil está entre os 30 maiores produtores de energia solar do mundo.
  Voltar
X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok