09/11/2020

Gravatá, no Agreste, reberá expansão de usina solar

  Voltar
Folha de Pernambuco 

Com a construção da usina, 20 empregos diretos temporários serão gerados

A cidade de Gravatá, no agreste pernambucano, deverá receber uma nova fazendo de energia solar que ampliará a capacidade de fornecimento desse tipo de energia sustentável. A RR Energia está buscando captar investimentos no valor de R$ 2 milhões para construir a SunFarm, que sozinha vai gerar 427 kWp (quilowatt pico) de potência. No entanto, os investidores poderão participar do investimento com cotas a partir de R$ 10 mil na modalidade equity. Com a construção da usina, 20 empregos diretos temporários serão gerados até o fim da construção.

De acordo com o CEO da RR Energia, Ruben Ribeiro, o segmento de energia solar vem mostrando-se uma boa alternativa de investimento. “Para quem procura investir seu dinheiro, o mercado de energia solar é uma oportunidade de investimento com retorno muito maior que a maioria dos investimentos de renda fixa disponíveis hoje no mercado”, ressalta.

Com relação a implantação da usina, ainda este mês, a SunFarm dará início a primeira fase do projeto, com a captação de investidores em todo o Brasil através da Bloxs, plataforma que intermedia investimentos alternativos. Essa será, inclusive, a primeira oferta de investimento via Bloxs no Estado.

Com a expansão da usina, os consumidores terão mais chances de buscar uma energia limpa e economizar na conta de luz. Ainda de acordo com Ribeiro, na prática, o cliente aluga um gerador fotovoltaico instalado na SunFarm, que irá produzir energia. Essa produção será então direcionada à Celpe e será abatida na fatura do consumidor em forma de crédito. A economia pode chegar a 15%. “Aqui em Pernambuco existe bastante demanda pela energia solar, e isso serve essencialmente na redução do gasto com energia”, complementa Ribeiro.

Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), Pernambuco ocupa a 12° posição no ranking estadual de geração distribuída (93,9 MW). Ainda segundo a ABSOLAR, 1,2% da oferta de energia elétrica no Brasil foi gerada pela fonte solar fotovoltaica em setembro de 2020. O Brasil vem mostrando-se cada vez mais um país em busca de energia sustentável. Em 2017 o país ocupa a 26° posição entre os países no ranking mundial. Dois anos depois, o Brasil ganhou mais 10 posições. Em 2020, o setor já apresentou um crescimento de 50% no primeiro semestre. Ainda de acordo com a ABSOLAR, o segmento é responsável por mais de 200 mil empregos em todo o país.
  Voltar
X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok