18/09/2020

Santa Catarina está entre os estados do Brasil que mais produzem energia solar

  Voltar
NSC Total​

Santa Catarina ocupa atualmente a 7ª posição em ranking estadual que avalia a produção de energia solar por estado do país, conforme dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR). O Estado conta com 146,7 MW de potência instalada, representando 4,3% da produção nacional de energia gerada a partir do sol. Os dados atualizados em setembro mostram MG em primeiro lugar, seguido de RS, SP, PR, MT e GO em sexto.

Quando se considera apenas as usinas de geração solar fotovoltaica, sem contar a produção a partir de painéis solares em residências, comércios e indústrias, Santa Catarina aparece em 11° lugar com 4,56MW. O dado é referente a abril e consta no último InfoMercado Dados Gerais, divulgado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Esses números devem dar um salto na próxima década no Brasil. No dia 9 de setembro, o Ministério de Minas e Energia (MME) e a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) divulgaram o Plano Decenal de Expansão de Energia 2030 (PDE 2030). 

Conforme o relatório, haverá crescimento de micro e minigeração distribuída (MMGD) no Brasil, com uma das projeções indicando investimentos em capacidade instalada na ordem de R$ 70 bilhões até 2030. Isso representa 3 milhões de novos consumidores apostando em sistemas próprios de geração.
Desse montante, 93% será de fonte solar, segundo o PDE 2030. — Nesse tipo de iniciativa para geração distribuída, é adotada uma tecnologia que permite aos consumidores produzirem sua própria energia a partir de sistema de placas solares, que podem ser instaladas em telhados ou terrenos - explica Julio Cesar Ferreira da Silva, gerente do Departamento de Energia Solar da Quantum, empresa catarinense com 30 anos de atuação. — Esse sistema proporciona redução de cerca de 90% na conta de energia elétrica, além de não ser poluente - completa Julio.

Confira 7 motivos que estão alavancando a busca por sistemas de energia solar em SC
Economia

A adoção de um sistema de geração de energia solar fotovoltaica proporciona redução de cerca de 90% na conta de energia elétrica;

Retorno rápido

O tempo para o investimento retornar na forma de economia na conta de luz, o chamado PayBack, é de cinco anos. Ainda são estimadas taxas de retorno reais acima 10% ao ano, conforme o estudo PDE 2030;

Durabilidade

Equipamentos de ponta têm vida útil em torno de 25 anos e pouca manutenção (basicamente limpeza em período de tempo seco, sendo duas ou três vezes ao ano);

Sustentabilidade

Adoção de sistemas que aproveitem fontes de energia renovável, como o sol, resultam na preservação do meio ambiente diante da diminuição do uso das fontes convencionais, como gás natural, carvão mineral, derivados do petróleo e energia nuclear;

Antipoluição

A geração de energia solar fotovoltaica não emite gases que interferem no efeito estufa, como o dióxido de carbono (CO2) e o gás metano (CH4). O efeito estufa é um fenômeno natural fundamental para a manutenção de temperatura adequada para a vida na Terra, no entanto, o aumento do aquecimento gerado por agentes poluentes na atmosfera causa mudanças climáticas danosas, como o aquecimento global;

Acesso democrático

Os sistemas solares fotovoltaicos são instalados em módulos, cuja quantidade varia conforme o tamanho do empreendimento, que pode ser casa, padaria, pousada, agropecuária ou indústrias de pequeno a grande porte, por exemplo. Ainda podem ser afixados em telhados e paredes, assim como montados no solo ou sobre lagos;

Emprego e renda

Conforme a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), desde 2012 o setor já gerou mais de 182 mil empregos acumulados no Brasil, sendo 47 mil novos postos de trabalho nos primeiros sete meses de 2020, mesmo com a crise de saúde e econômica decorrentes da pandemia de Covid-19.
  Voltar
X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok