18/11/2020

UFFS de Realeza é selecionado em projeto de eficiência energética

  Voltar
Diário do Sudoeste 

Modernização do sistema elétrico no Câmpus Realeza diminuirá o consumo anual em aproximadamente 60% 

Além da universidade, outras intituições federais do Sudoeste também contam com o sistema sustentável

Em no máximo 18 meses, o câmpus da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) em Realeza contará com uma usina fotovoltaica capaz de reduzir 60% do consumo total de energia gasta na instituição. O projeto sustentável será colocado em prática devido a um programa da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), da qual a univerisdade foi escolhida pela Companhia Paranaense de Energia (Copel) para participar.

Selecionado, o câmpus receberá, aproximadamente, R$ 1,8 milhão para realizar melhorias na instalação e na gestão energética. Em contrapartida, a instituição depositará cerca de R$ 250 mil. Além dos investimentos na implantação da usina, todas as lâmpadas de vapor metálico e fluorescentes serão trocadas por led — O projeto prevê a substituição de 6.237 lâmpadas.

Nos próximos 30 dias, a Copel e a UFFS assinarão o acordo de cooperação técnica. Após a assinatura, se inicia o processo de contratação de uma empresa de serviço de energia que dará o suporte técnico no decorrer de todo o projeto. “Na sequência, serão contratadas as demais ações, como empresa de medição e verificação, a compra de novas lâmpadas e serviço de troca e descarte de lâmpadas usadas. Após essa primeira fase, poderá ser licitada a usina fotovoltaica, que deverá ser instalada no prazo contratual de 18 meses”, detalhou Edinéia Paula Sartori Schmitz, coordenadora administrativa do câmpus Realeza.

Usina fotovoltaica

Ao todo, 969 módulos geradores de energia solar fotovoltaica, cinco inversores de 60kW de potência e um inversor de 50 kW serão instalados em uma área do câmpus, situada próxima ao Hospital Veterinário Universitário.

Todas as mudanças impactarão, significativamente, no consumo de energia elétrica na instituição que, com a produção da usina, na ordem de 457,085 MWh, diminuirá o consumo anual em cerca de 60%. Ainda soma-se a isso a economia gerada pela atualização do sistema de iluminação.

UTFPR Pato Branco

Recentemente, a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) – Câmpus Pato Branco também foi selecionada pela Copel, pela segunda vez, para a implantação de mais um projeto de eficiência energética.

Em 2017, o câmpus já teve um projeto habilitado pela Copel, no valor de R$ 8 milhões — sendo R$ 5 milhões destinados para projetos de pesquisa e desenvolvimento e R$ 3 milhões para ações de eficientização das instalações da insituição.

No primeiro projeto, o câmpus realizou a troca de oito mil lâmpadas ineficientes por as de led, implantou um sistema de gestão de energia e instalou uma usina de minigeração fotovoltaica, com 1.236 painés solares com potência de 420 kWp.

Agora, com o novo projeto, também serão substituídas lâmpadas, trocados equipamentos de condicionamento ambiental por alguns mais eficientes e serão instalados mais 312 painéis solares, com potência de 124,80 kWp. Somados, todos ao painéis passaram a produzir 544,8 KWp de energia.

A potência da usina, em conjunto com as ações do projeto, além de evitar a geração de 112,17 toneladas de carbono, irão gerar uma economia de mais de R$ 340 mil reais, por ano, em energia elétrica, o que representa quase 40% do recurso total destinado ao pagamento de energia no câmpus — que chega a pagar cerca de R$ 1 milhão ao ano.

O projeto selecionado, recentemente, encontra-se na última fase. Segundo a engenheira, Elisa Basei Dall’Agnol, analista de Eficiência Energética e responsável pelos projetos na instituição, estão sendo feitas medições mensais para comprovação de produção à Copel e Aneel.

UTFPR Dois Vizinhos

No fim de 2019, o câmpus da UTFPR em Dois Vizinhos também foi selecionado pela Copel para a implantação de um projeto sustentável. Assim como nas demais universidades contempladas na região, o câmpus contará com a instalação de usina fotovoltaica e com a substituição de todas as lâmpadas normais por led.

Em Dois Vizinhos serão instalados 597 painéis solares, que poderão gerar até 43.000 kWh ao mês. Segundo Ricardo Lozano da Silva, diretor-geral do câmpus, com esse projeto, a universidade terá uma economia, mensal, de até 30% do valor total gasto com energia elétrica, que é de R$ 70 mil.

Além da usina fotovoltaica oriunda do projeto da Copel, o câmpus também conta com mais uma iniciativa sustentável. “Por ter recebido nota máxima, em eficiência de qualidade de gestão e ensino, nós (UTFPR como um todo) ganhamos R$ 2,5 milhões a mais do MEC. A reitoria dividiu o valor entre todos os câmpus e isso tinha que ser investido em energia renovável. Então, nós estamos com um processo de instalação de duas mini usinas”, contou Silva.

Juntas, as três usinas fotovoltaicas gerarão energia capaz para abastecer 144 residências de classe média com 4 pessoas cada. Tanto o projeto da Copel quanto o do MEC, estão em processo inicial de instalação.

De acordo com o diretor-geral do câmpus, um outro projeto está sendo implantado em Dois Vizinhos. Segundo ele, trata-se de um centro de pesquisas em resíduos agropecuários para se trabalhar com a questão de energias renováveis a partir de dejetos.
  Voltar
X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok